10 DICAS DE CUIDADOS QUE VOCÊ DEVE TER COM IDOSOS COM PARKINSON

Quando comecei a me aproximar da área da Geriatria e Gerontologia, em Porto Alegre, há mais de 25 anos, me deparei por diversas vezes com clientes me relatando que seus idosos apresentavam diagnóstico de Parkinson e Alzheimer. Com o passar do tempo fui percebendo e aprendendo, até porque a Neurologia evoluiu bastante de lá pra cá, que o que acontece é que o paciente com diagnóstico de Parkinson desenvolve um tipo de demência e não necessariamente Alzheimer. Com isso aprendi que existem alguns cuidados que devemos ter para facilitar o cuidado com nossos idosos.

  1. Sempre que eles estiverem fazendo uma alimentação e que seu braço comece a tremer de mais, uma das técnicas que funciona é pedir para ele (a) olhe para a mão, pois quando eles olham para o membro ele cessa o tremor;
  2. Quando for auxiliar algum portador de Parkinson a caminhar, jamais pegue ele pelos braços e fique na sua frente, pois a tendência deles é de se inclinar para trás e travar a marcha. Devemos pegá-lo pela cintura e ficarmos ao seu lado;
  3. Evite locais agitados e barulhentos;
  4. Com a evolução da demência, quando ele começar a se repetir não demonstre irritação ou fale ¨tu já me disse isso¨, pois ele (a) realmente não lembra de já ter falado;
  5. Com a evolução da demência, quando por algum motivo você disser ¨fique sentado aí que eu já volto¨, não espere que ele (a) vá obedecer, pois também não irá se lembrar do que você acabou de dizer e não é porque ele (a) não obedece;
  6. A ingestão de líquidos é outro fator muito complicado, pois com a desidratação das papilas gustativas a modificação do centro da Sede, além de eles não lembrarem, em função da memória, eles param de sentir sede;
  7. Outra característica que aparece em grande parte deles é a perda de urina (incontinência urinária), não somente flacidez da musculatura, como também pela diminuição da sensibilidade e que acabam apresentando a urgência miccional,  pois eles não sentem o estímulo da vontade e quando chegam a sentir já a bexiga já está cheia de mais e não dá tempo de chegarem ao banheiro. Para isso a gente deve estipular um tempo e horários de irem ao banheiro;
  8. Na realidade, na minha avaliação, a melhor forma destes idosos serem melhor cuidados é em uma Geriatria ou Casa de Repouso, pois possuem um ambiente apropriado, pessoas treinadas e capacitadas, não ficam isolados e nós familiares não ficamos na zona de confronto direto, o que desgasta demais o emocional e as relações familiares;
  9. Normalmente ao final da tarde, conforme a noite vem se aproximando, eles começam a ficar mais agitados, tem gente que fala que seria porque eles têm medo da noite, mas na realidade isso está mais envolvido com a questão hormonal e não emocional ou comportamental, por isso devemos tentar concentrar as medicações que diminuem a agitação para este horário e não durante o dia todo. Apesar que cada fase é diferente uma das outras. Eles apresentam vários ciclos de modificação de comportamento;
  10. Devemos sempre observar se as eliminações estão dentro da normalidade, pois diversos idosos apresentam uma constipação intestinal bem importante em função da redução de movimentos, ingesta hídrica e alimentar. Assim como as fezes, temos de sempre que possível observar o aspecto da urina, pois em função de várias situações, como uso de fraldas, erro na realização da higiene após eliminações, etc. eles acabam fazendo infecções urinárias, sem sintomas, o que acarreta em uma piora muito grande do sensório e comportamental.
0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *